Hariri descarta integrar governo liderado por Hezbollah

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, descartou hoje participar de um governo liderado por um candidato do Hezbollah, informou seu escritório em comunicado. Atualmente, as negociações estão em andamento no país para se nomear uma nova administração.

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2011 | 12h00

"O Movimento Futuro (liderado por Hariri) anuncia sua recusa em participar de um governo liderado por um candidato nomeado pela oposição", afirmou o texto, referindo-se ao grupo militante Hezbollah e seus aliados.

O comunicado de Hariri vem a público no momento em que o ex-primeiro-ministro Najib Mikati, de 55 anos, aparece como candidato favorito a tornar-se premiê, após ele garantir o apoio do Hezbollah, que derrubou o governo de Hariri mais cedo neste mês.

Funcionários dizem que Mikati, um empresário do setor das telecomunicações, foi o nome preferido pelo Hezbollah dada sua posição como um político de centro, com boas relações com os divididos partidos libaneses.

Mikati lançou ontem sua candidatura e disse esperar que pudesse se tornar um nome de consenso. Mas o Movimento Futuro de Hariri disse que não há nada como um "candidato de consenso". "Há um candidato chamado Saad Hariri, e então há outro apontado pela oposição", diz o comunicado.

Hoje, o presidente Michel Suleiman começa um período de dois dias de consultas com os 128 parlamentares do país para escolher o nome do futuro premiê, que deverá então negociar para formar um novo governo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoHaririHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.