DAMIR SAGOLJ/Reuters
DAMIR SAGOLJ/Reuters

Harry e Meghan unem tradição e modernidade em casamento

Cerimônia foi vista por milhões de pessoas em todo o mundo; sermão de bispo americano foi um dos momentos mais emocionantes

O Estado de S.Paulo

19 Maio 2018 | 21h01

O príncipe Harry e a americana Meghan Markle se casaram ontem na igreja de São Jorge, em Windsor, em uma cerimônia emocionante, com elementos tradicionais e modernos, lotada de celebridades e acompanhada por uma audiência global.

O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, líder espiritual da Igreja Anglicana, tomou os votos matrimoniais dos noivos, que passaram grande parte da cerimônia de mãos dadas.

A cerimônia teve diversos momentos emocionantes, como o sermão do bispo americano Michael Curry. “Há poder no amor. O amor pode ajudar e curar quando nada mais pode fazê-lo”, disse o primeiro presidente negro da Igreja Episcopal dos EUA. “Não subestime isso. Qualquer pessoa que se apaixonou sabe o que eu estou dizendo”, continuou Curry, em um entusiasmado sermão que teve uma citação a Martin Luther King Jr., líder americano da luta pelos direitos civis.

A versão do hit dos anos 1960 Stand By Me, de Ben E. King, cantada por um coro gospel também emocionou os mais de 600 presentes da igreja. 

A cerimônia foi concluída com o hino britânico God Save the Queen (Deus Salve a Rainha), que a noiva americana cantou, assim como as milhares de pessoas em todo o país. 

+ Kate Middleton repete vestido no casamento real

Após o casamento, os agora duque e duquesa de Sussex, deixaram a igreja, se beijaram nos degraus e entraram em uma carruagem aberta do século 19 para saudar as milhares de pessoas que acompanharam a cerimônia em telões.

Após a polêmica provocada pela ausência de seu pai Thomas Markle, Meghan Markle percorreu praticamente sozinha o percurso até o altar. Ela deu o braço ao sogro, o príncipe Charles, apenas nos metros finais.

+ Meghan Markle foca na imagem da princesa politicamente correta

Markle usou um vestido branco criado pela estilista britânica Clare Waight Keller (mais informações nesta página), enquanto Harry usava o uniforme de gala militar. O príncipe chegou a pé à igreja, ao lado do irmão William, seu padrinho de casamento. A noiva seguiu para a igreja em um Rolls-Royce Phantom IV, ao lado de sua mãe Doria Ragland.

O cantor Elton John, a apresentadora Oprah Winfrey, os atores George Clooney e Idriss Elba, o ex-jogador de futebol David Beckham e as ex-namoradas de Harry, Chelsy Davy e Cressida Bonas, estavam na igreja, que abriga o túmulo de reis e recebeu ontem o 16.º casamento real desde 1863.

A rainha Elizabeth II nomeou Harry duque de Sussex, conde de Dumbarton e barão de Kilkeel, respectivamente, títulos de nobreza inglês, escocês e norte-irlandês, como determina a tradição. Meghan passou a ostentar os mesmos títulos após o casamento.

Após o passeio de carruagem diante do público houve a parte privada do casamento, com um almoço oferecido pela rainha no castelo de Windsor. Também fez parte das celebrações uma festa à noite na mansão Frogmore, presente do pai do noivo, o príncipe Charles.

Nas ruas de todo país foram organizadas festas e o dia acabou com a aguardada concessão que permite aos pubs funcionar até mais tarde. O evento foi cercado por muitas medidas de segurança no país, que sofreu cinco atentados em 2017, com um balanço de 36 mortos. / AFP, EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Meghan MarklePríncipe Harry

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.