Harry lidera homenagem a Diana

?Ela era a melhor mãe do mundo?, diz o príncipe na cerimônia que lembrou os dez anos da morte de sua mãe

Efe e Reuters, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2001 | 00h00

O príncipe Harry, que tinha apenas 12 anos quando sua mãe morreu, fez ontem o discurso mais emocionado durante a cerimônia para marcar os dez anos da morte da princesa Diana. "Ela era nossa guardiã, nossa amiga, nossa protetora. Era a melhor mãe do mundo", disse. Diana, seu namorado Dodi al-Fayed e o motorista do casal morreram em 31 de agosto de 1997, em um acidente de carro no centro de Paris.   Veja imagens, relatos e outras informações sobre a Lady DiMais de 500 pessoas - entre familiares, amigos, membros da realeza e políticos britânicos - ouviram os discurso de Harry e de seu irmão, William, durante uma missa na Capela da Guarda Real, ao lado do Palácio de Buckingham, em Londres."Perder um familiar tão próximo foi um choque indescritível e mudou a minha vida e a do meu irmão para sempre", afirmou Harry. "Nós pensamos nela todos os dias e podemos separar nossas vidas em duas partes. Há os anos nos quais fomos abençoados com a presença física de nossa mãe e, depois, há os dez anos que se passaram desde a morte dela." O príncipe terminou dizendo que era importante lembrar de Diana como ela era: "Amorosa, generosa, realista e autêntica."SEM CAMILLAO primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e seus antecessores Tony Blair (que cunhou o título de "princesa do povo") e John Major compareceram à cerimônia, fechada ao público, mas transmitida ao vivo pelas TV. A grande ausência foi de Camilla Parker-Bowles, segunda mulher do príncipe Charles, a quem Diana sempre culpou pelo fim do seu casamento. Ela foi convidada por Harry e William, mas decidiu não ir, alegando que sua presença desviaria a atenção do verdadeiro objetivo do evento.Em frente do Palácio de Kensington, antiga residência de Diana em Londres, centenas de admiradores deixaram flores, fotos e poemas para homenageá-la. Em Manchester, Bristol, Aberdeen, Cardiff e outras cidades britânicas também realizaram cerimônias pela memória da princesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.