Helicóptero cai e mata 32 no Sudão, inclusive ministro

Trinta e duas pessoas morreram na queda de um helicóptero alugado pelo governo do Sudão, inclusive um ministro de governo e dois generais do exército, informaram autoridades locais neste domingo.

AGÊNCIA ESTADO, Agência Estado

19 de agosto de 2012 | 18h49

Um funcionário da aviação civil sudanesa disse que o helicóptero caiu por causa do mau tempo. Sob a condição de anonimato, ele disse que a aeronave bateu em uma montanha na região de Nuba, cerca de 650 quilômetros a sudoeste de Cartum.

Informou-se inicialmente que a queda fora de um avião, mas autoridades locais posteriormente disseram se tratar de um helicóptero.

As montanhas de Nuba ficam numa região do Estado de Kordofan do Sul onde forças do governo sudanês lutam contra os rebeldes do Movimento de Libertação do Povo do Sudão/Norte (SPLM/N, na sigla em inglês). Segundo um porta-voz do governo, porém, não há indícios de que o helicóptero tenha sido atacado por rebeldes.

A agência de notícias estatal (Suna) informou que o ministro de Orientação Islâmica do Sudão, Ghazi al-Sadeq, estava entre os mortos. Sadeq estava viajando para Kordofan do Sul, que fica na fronteira com o Sudão do Sul, para celebrar um feriado religioso. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
helicópteroSudão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.