Helicóptero com soldados dos EUA é derrubado no Iraque

O comando militar dos Estados Unidos em Bagdá confirmou nesta sexta-feira a queda de um helicóptero do Exército americano ao norte da capital. Dois soldados que estavam a bordo morreram. Não foi especificado o tipo do aparelho nem a identificação das vítimas. Mais cedo, várias testemunhas haviam dito que dois helicópteros voavam juntos quando foram atacados por um grupo de insurgentes. Uma das aeronaves, um Apache, teria caído próximo a Taji, numa base aérea 20 km ao norte da capital iraquiana.Outros três helicópteros permanecem desaparecidos desde 20 de janeiro, incluindo um que caiu no domingo durante um conflito em uma área perto de Najaf e outro que caiu na província de Diyala. Acredita-se que todos foram derrubados, mas o Exército não confirma o motivo da queda de nenhum dos aparelhos.Enquanto isso, forças dos Estados Unidos mataram 18 supostos rebeldes depois de serem atacados na cidade de Ramadi, disseram fontes na polícia local nesta sexta-feira. O confronto começou na quinta-feira à noite, quando insurgentes atiraram contra os americanos de diversos pontos da cidade, que fica a 115 quilômetros ao sul de Bagdá.As forças americanas responderam aos ataques com metralhadoras e mísseis, provocando a morte de 15 supostos rebeldes. Os insurgentes possuíam granadas e armas comuns, que foram confiscadas pelas tropas americanas, que lançaram em seguida um novo míssil, matando mais três rebeldes.Soldados americanos ou civis não foram atingidos durante os ataques, disseram os militares.Ramadi, capital da província de Anbar, foi palco de uma das mais sangrentas batalhas da guerra. Insurgentes sunitas continuam se locomovendo livremente pela cidade.Número de mortesEnquanto isso, a morte de seis soldados americanos em diferentes incidentes elevou a 3.090 o número de militares dos EUA mortos no Iraque desde março de 2003, quando forças estrangeiras lideradas por Washington invadiram o Iraque em busca de armas de destruição em massa, que nunca foram encontradas.Autoridades da cidade de Hilla, no sul do Iraque, anunciaram hoje um período de três dias de luto em homenagem às dezenas de vítimas de um duplo ataque ocorrido ontem, quando dois homens-bomba promoveram um ataque suicida simultâneo contra um mercado a céu aberto da cidade, matando 73 pessoas e ferindo 163.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.