Helicóptero israelense ataca suposta fábrica de mísseis

Helicópteros de guerra "Apache" israelenses atacaram na noite deste domingo com um míssil ar-terra um edifício na Cidade de Gaza, onde, segundo o exército, militantes palestinos produziam mísseis para serem lançados contra Israel.As fontes afirmaram que o míssil atingiu a fábrica, localizada no bairro de Zaytoon, ao sul de Gaza, e que causou graves danos à instalação. Ainda não se tem notícias sobre feridos.Segundo a versão da polícia, o alvo do ataque foi um edifício vazio que aparentemente era utilizado pelos militantes como armazém de armas de fabricação caseira.A Saraya al-Quds, o braço armado da Jihad Islâmica, reagiu ao ataque assegurando que seu armazém de armamentos não havia sido atingido por nenhum míssil israelense.O ataque ao edifício foi precedido por outro ataque aéreo contra um veículo, na cidade de Rafah, ao sul da Faixa de Gaza, que deixou um miliciano palestino morto e outros quatro feridos.Fontes da segurança palestina afirmaram que o veículo levava militantes do grupo de resistência islâmico Hamas, e que o erro de um primeiro míssil deu tempo aos milicianos de deixarem o veículo antes que outro projétil o destruísse.Quatro membros das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, braço armado do Fatah, ficaram feridos em outro ataque com mísseis realizado por aviões de guerra israelenses neste domingo.Todos estes ataques ocorrem no marco da ofensiva militar lançada pelo exército israelense em Gaza, em resposta à captura por parte de milicianos palestinos do soldado Gilad Shalit, no dia 25 de junho.A operação armada já matou mais de setenta palestinos, a maioria deles nos últimos três dias.O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou hoje que não pode impor uma data limite à ofensiva. "Esta é uma guerra à qual não podemos impor um calendário", disse Olmert em reunião do conselho de ministros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.