Força Aérea do Uruguai /Reprodução
Força Aérea do Uruguai /Reprodução

Helicóptero que transportava vacinas contra o novo coronavírus cai no Uruguai

Tripulação está em bom estado de saúde, mas segue no hospital; todas 180 as doses foram perdidas

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2021 | 15h55

MONTEVIDÉU - Um helicóptero da Força Aérea do Uruguai que transportava vacinas contra o coronavírus caiu na madrugada desta quinta-feira, 25, no departamento de Rocha, no sudeste do país. As 180 doses foram perdidas e os três tripulantes foram hospitalizados. 

Em entrevista coletiva, o comandante-chefe da Força Aérea Uruguaia, general Luis De León, detalhou que a tripulação do voo está hospitalizada, mas em bom estado de saúde. De acordo com o general, ao perceber uma falha, o piloto aterrissou em um campo perto de uma estrada onde imediatamente depois a aeronave - um helicóptero Bell 212 - pegou fogo e teve perda total.

O carregamento tinha 180 doses da vacina da Pfizer que iam de Montevidéu para Rocha, de modo a prosseguir com o plano de vacinação para maiores de 80 anos. As doses foram repostas e chegaram aos respectivos destinos no início da manhã por via terrestre.

As doses da Pfizer chegaram ao Uruguai na terceira entrega da companhia farmacêutica para o país, que aconteceu na noite passada, no Aeroporto Internacional de Carrasco. Até o momento, o governo uruguaio adquiriu 3,8 milhões de doses de imunizantes desenvolvidos pela Pfizer e também pela chinesa Sinovac, sendo que 1,9 milhão já estão no país.

Além disso, através da plataforma Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), chegarão outras 450 mil doses da vacina da AstraZeneca. Segundo dados do Ministério da Saúde Pública divulgados na manhã de quinta-feira, 414.926 pessoas receberam a primeira dose de algum dos imunizantes, o que representa 11,83% da população.  / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.