INSTAGRAM/@OSCARPEREZGOV/Handout via REUTERS
INSTAGRAM/@OSCARPEREZGOV/Handout via REUTERS

Helicóptero usado em protesto em Caracas foi roubado por policial com vínculos com CIA, diz ministro

Ernesto Villegas explicou que a aeronave foi furtada da base aérea de La Carlota por Oscar Pérez, inspetor-chefe da divisão de apoio aéreo da polícia científica da Venezuela

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2017 | 11h03

CARACAS - O governo da Venezuela informou nesta quarta-feira, 28, que o helicóptero utilizado para sobrevoar as sedes do Executivo e do Judiciário em Caracas foi roubado por um policial investigado por vínculos com a CIA (agência de inteligência dos EUA).

O ministro de Comunicação venezuelano, Ernesto Villegas, explicou que a aeronave foi furtada da base aérea de La Carlota, em Caracas, por Oscar Pérez, inspetor-chefe da divisão de apoio aéreo do CICPC (polícia científica do país).

Villegas afirmou que a aeronave voou até o Ministério do Interior, no centro da capital, e “efetuou cerca de 15 disparos contra os edifícios”. Depois, ela se dirigiu à sede do Poder Judiciário onde “foram efetuados disparos e lançadas ao menos quatro granadas de origem colombiana e fabricação israelense, das quais uma não explodiu e foi coletada”.

Segundo o ministro, esses ataques são parte de “uma escalada golpista contra a Constituição e suas instituições”, e Pérez está sendo investigado por seus “vínculos com a CIA” e a embaixada dos EUA na Venezuela.

“Assim como seus vínculos com um ex-ministro do Interior que recentemente confirmou publicamente seus contatos com a CIA”, disse Villegas em alusão a Miguel Rodríguez Torres, o qual denunciou a “falsidade” de um documento tornado público por um meio pró-governo que tinha ligação com o organismo americano.

Para o governo venezuelano, esses são ataques de caráter terrorista estimulados por grupos de direita “com apoio de governos e poderes estrangeiros”.

Villegas destacou que a Força Armada e as equipes de segurança do Estado visam capturar o autor das ações e recuperar o helicóptero. Além disso, elas pediram para que a população comunique as autoridades por meio do telefone 911 caso saibam de alguma informação sobre Pérez ou a aeronave. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.