Mauricio Dueñas/Efe
Mauricio Dueñas/Efe

Helicópteros brasileiros resgatarão reféns na Colômbia

Reféns estão prestes a ser libertados por guerrilheiros esquerdistas depois de mais de 12 anos de cativeiro na selva

AE, Agência Estado

02 de abril de 2012 | 08h53

VILLAVICENCIO, COLÔMBIA - Dois helicópteros da Força Aérea brasileira chegaram à Colômbia para resgatar reféns que estão prestes a ser libertados por guerrilheiros esquerdistas depois de mais de 12 anos de cativeiro na selva.

Os aparelhos Cougar, emprestados pelo Brasil, chegaram no domingo ao país vizinho com membros de uma comissão humanitária que participará da libertação dos reféns.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, ou FARC, concordaram em libertar dez reféns nesta segunda-feira, 2, e na quarta-feira, 4.

A comissão inclui membros do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, da organização Colombianos para a Paz e a senadora Piedad Córdoba, mediadora de negociações com as FARC para a soltura de reféns.

As aeronaves brasileiras deverão voar agora para um local não identificado para recolher os cativos. "Os helicópteros partirão por volta das 8h (10h de Brasília)", afirmou Córdoba. "Eu não sei quem será libertado primeiro. Mas a libertação será em duas etapas: segunda e quarta-feira."

Os militares da Colômbia interromperam todas as atividades na área onde ocorrerá a libertação.

As FARC, maior movimento guerrilheiro da América Latina, anunciaram em fevereiro que libertaria os seis policiais e quatro soldados ainda em seu poder e que abandonariam a prática de sequestros por resgates. O plano, no entanto, foi adiado para abril, e o grupo continua em conflito com o exército colombiano.

Na semana passada, militares colombianos mataram 36 supostos rebeldes da FARC e capturaram outros quatro em uma ofensiva no departamento (Estado) de Meta, segundo officiais. A operação foi anunciada pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, menos de uma semana depois de o exército ter matado mais de 30 guerrilheiros numa ofensiva semelhante.

O governo estima que as FARC, fundadas em 1964, tenham cerca de 9 mil combatentes em regiões montanhosas e de selva da Colômbia.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarcresgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.