Hemodiálise mata 23 pacientes na Croácia

A ministra da Saúde da Croácia, Ana Stavljenic Rukavina, apresentou sua renúncia neste domingo, depois que 23 pacientes de hemodiálise morreram ao longo da última semana, em hospitais de todo o país. O primeiro-ministro croata, Ivica Racan, rejeitou a renúncia de Rukavina, apresentada em função das mortes registradas na sexta-feira e no sábado, mas ordenou que seja iniciada uma investigação "para descobrir, urgente, como isto pôde acontecer e se havia uma maneira de evitar a tragédia".Algumas vítimas morreram enquanto recebiam o tratamento de hemodiálise; outras faleceram sufocadas ou por problemas cardíacos, logo depois do tratamento, de acordo com a imprensa croata.Todas as vítimas estavam sendo tratadas com dialisadores da empresa Baxter International Inc., uma companhia norte-americana sediada num subúrbio de Chicago.Segundo o primeiro-ministro, até agora a investigação levou à suspeita de que "os filtros fabricados pela Baxter provocaram a tragédia". Os representantes da empresa chegaram neste domingo à Croácia, mas se recusaram a conversar com a imprensa. Equipamentos da Baxter também estavam sendo usados na Espanha, onde dez pacientes de fígado morreram em agosto.Segundo os resultados de uma investigação independente, divulgados na semana passada, não há ligação entre os equipamentos da Baxter e as mortes, mas o governo espanhol está esperando os resultados dos seus próprios testes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.