Herdeira do 'Clarín' é sua neta, diz avó da Praça de Maio

A fundadora das Avós da Praça de Maio, María Isabel "Chicha" Chorobik de Mariani, disse nesta semana que a filha adotiva da dona do grupo Clarín é sua neta, sequestrada durante a ditadura (1976-1983). Ela depunha à Justiça argentina num processo sobre o roubo de filhos de desaparecidos durante o regime, no qual María Isabel perdeu o filho e a nora. Sua neta, Clara Anahí, desapareceu em 1976, aos 3 meses de idade. A investigação foi aberta a pedido do governo, cuja disputa com a imprensa se intensificou neste ano.

AFP, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2010 | 00h00

Há vários anos a Justiça investiga se Marcela e Felipe Noble Herrera, filhos adotivos da dona do grupo Clarín - a viúva Ernestina Herrera - são filhos de desaparecidos. Ambos têm hoje 34 anos.

"Quando vi as fotos do casamento de Felipe, percebi que muitos dos traços de Marcela são da nossa família", disse María Isabel no 6º Tribunal Federal.

Marcela e Felipe foram submetidos a exames de DNA em junho, mas o resultado não foi aceito pela Justiça, que apontou vícios na coleta do material e na comparação da amostra com o banco de dados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.