Hezbollah admite que lançou drone derrubado em Israel

Segundo o líder do grupo xiita, Hassan Nasrallah, avião foi abatido nas proximidades de reator nuclear israelense

BEIRUTE, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2012 | 03h05

O mistério sobre a procedência de uma aeronave não tripulada abatida por Israel no sábado foi desvendado ontem. Após o premiê israelense, Binyamin Netanyahu, acusar o grupo islâmico Hezbollah - que tem base no sul do Líbano - de ser o responsável pelo avião, o líder do movimento xiita, Hassan Nasrallah, admitiu tê-lo lançado com a intenção de espionar os israelenses.

"O drone voou sobre instalações sensíveis no sul da Palestina (referindo-se ao território israelense)", disse Nasrallah à emissora Al-Manar, que pertence ao Hezbollah, afirmando que a avião "conseguiu chegar" até as proximidades do reator nuclear de Dimona, no Deserto do Neguev.

Segundo o líder xiita, seu movimento "mandou um sofisticado drone de reconhecimento do Líbano na direção do mar (Mediterrâneo) antes de ele entrar (no espaço aéreo Israel) e sobrevoar muitos locais importantes antes de ser descoberto pela Força Aérea israelense".

Nasrallah afirmou que o avião não carregava armamento e, ainda de acordo com ele, foi construído no Irã e montado no Líbano. "Deixaremos que os israelenses descubram (por sua própria conta) as capacidades do drone. Estamos revelando apenas parte de nossa capacidade e escondendo muitas outras", disse o xiita.

Anteriormente, as forças de paz da ONU que atuam no Líbano negaram que a aeronave tivesse decolado do país.

No dia 25, a Guarda Revolucionária do Irã divulgou imagens de um drone que, segundo Teerã, foi construído com tecnologia local. De acordo com o país persa, o Shahed 129 tem autonomia para voar até 2 mil quilômetros e capacidade para carregar bombas e mísseis, além de cumprir missões de reconhecimento.

Bibi. Durante uma visita ao sul de Israel, o primeiro-ministro israelense afirmou que seu país está pronto para "atuar com determinação para defender suas fronteiras", ao acusar o Hezbollah de lançar o drone derrubado no sábado. Pesquisas publicadas ontem pela imprensa de Israel mostraram o conservador Likud, partido de Bibi, à frente na preferência dos israelenses para as eleições parlamentares antecipadas pelo premiê. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.