Hezbollah confirma negociações com Israel

O líder do grupo militante islâmico Hezbollah, Hassan Nasrallah, confirmou nesta terça-feira a realização de negociações indiretas com Israel a respeito da troca de prisioneiros. Segundo Nasrallah, um mediador da Organização das Nações Unidas (ONU) tem se encontrado com representantes de ambos os lados. Nasrallah não forneceu mais detalhes sobre a negociação. Em 12 julho, a captura de dois soldados israelenses pelo Hezbollah deu início ao conflito de 34 dias entre Israel e o Líbano, no qual mais de 1,2 mil pessoas morreram. O grupo militante islâmico propôs trocar os dois soldados por prisioneiros árabes mantidos em Israel. Essa proposta foi negada repetidas vezes por Israel. O conflito no Líbano só foi encerrado depois de uma trégua mediada pela ONU. A resolução aprovada pela ONU pedia a libertação dos soldados. "São negociações importantes.... esssa questão está em curso. Estamos avançando", afirmou Nasrallah à estação de TV do Hezbollah. "Nós chegamos a um ponto de troca de idéias, propostas e condições." O líder do Hezbollah se recusou a falar sobre quanto tempo levaria para se chegar a um acordo, dizendo apenas que isso depende "da natureza das negociações". Até o momento, Israel não comentou o assunto. Na semana passada, o jornal al-Hayat afirmou em uma reportagem que as negociações até agora não tiveram sucesso, segundo Kim Ghattas, correspondente da BBC em Beirute. Em 2000 o Hezbollah também capturou soldados israelenses. Na ocasião, conforme Ghattas, foram necessários quatro anos até que as negociações levassem à troca dos soldados por 400 prisioneiros palestinos e 35 libaneses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.