Hezbollah diz que não esperava ataques israelenses tão intensos

O subsecretário-geral do Hezbollah, xequeNaim Kasem, afirmou que a milícia "não esperava um ataque israelensede tamanha magnitude" em resposta à captura, em 12 de julho, de doissoldados do Estado judeu pelo grupo xiita. "Francamente, fomos surpreendidos pela grande magnitude (daofensiva israelense)", disse Kasem, em entrevista ao jornal libanês"An-Nahar" publicada neste sábado. Kasem reiterou que o Hezbollah ("Partido de Deus") pensava que,após a captura de dois soldados israelenses, o Estado judeu"responderia bombardeando algumas áreas em um ou dois dias, nomáximo três, e que os danos seriam limitados". Segundo as autoridades libanesas, mais de mil civis morreram ecerca de quatro mil ficaram feridos durante a ofensiva militarisraelense contra o Líbano, que também causou danos materiaisavaliados em vários bilhões de dólares. "Israel não estava preparado. Precisava de dois a três meses amais de preparação, mas os EUA fizeram pressão por um lado, enquantopor outro os israelenses desejavam obter uma vitória" rápida sobre oHezbollah, acrescentou o líder xiita. O subsecretário-geral revelou, além disso, que seu grupocoordena, juntamente com o Exército libanês, o posicionamento deoficiais no sul do Líbano em cumprimento da resolução 1.701 doConselho de Segurança da ONU, segundo a qual o fim da hostilidadefoi aplicado a partir do dia 14. Kasem lembrou que Israel ainda ocupa as controvertidas Fazendasde Chebaa - na fronteira entre Síria, Líbano e o Estado judeu -,mantém prisioneiros libaneses e viola a soberania nacional libanesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.