Hezbollah: membros serão acusados por morte de Hariri

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, informou o grupo xiita Hezbollah que um tribunal das Nações Unidas que investiga o assassinato do ex-premiê, Rafiq Hariri, acusará membros do partido militante, afirmou hoje o chefe do Hezbollah, xeque Hassan Nasrallah. Rafiq Hariri foi assassinado em 2005.

AE, Agência Estado

22 de julho de 2010 | 17h33

"Eu fui pessoalmente informado pelo primeiro-ministro Hariri de que o tribunal irá acusar alguns integrantes indisciplinados do Hezbollah", disse Nasrallah, em teleconferência. Em um discurso feito este mês, Nasrallah acusou Israel de interferir na investigação, e fez uma forte crítica ao indiciamento do tribunal, como "fabricado".

Relatórios publicados pela imprensa local, no ano passado, disseram que as provas implicavam o Hezbollah no assassinato do ex-premiê, morto em um atentado a bomba. O atual primeiro-ministro Saad Hariri é filho de Rafiq.

Nasrallah confirmou em março que investigadores das Nações Unidas interrogaram membros do seu partido, apoiado pela Síria e o Irã, mas afirmou na época que o Hezbollah não estava na linha de frente das investigações. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HezbollahmorteHaririLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.