Hezbollah planejava atentados contra turistas no Egito

Agentes do grupo militante Hezbollah em operação no Egito estavam planejando atentados contra turistas israelenses em resorts na península do Sinai, funcionários dos governos egípcio e israelense disseram hoje.

AE-AP, Agencia Estado

12 de abril de 2009 | 20h21

Recentemente, o Egito anunciou que uma célula de 49 homens ligados ao Hezbollah estava planejando ataques com o objetivo de desestabilizar o país. O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, negou as acusações, mas confirmou que havia enviado um de seus membros ao Egito - uma rara admissão de que o grupo militante libanês estava operando em outro país árabe.

As alegações do Egito evidenciam as tensões crescentes entre os aliados dos Estados Unidos na região, Egito e Arábia Saudita, e o Irã e grupos militantes apoiados pela Síria, como o Hezbollah e o Hamas.

Hoje o ministro egípcio Mufed Shehab disse que autoridades apreenderam cintos explosivos e outros materiais para fabricação de bombas dos supostos agentes do Hezbollah. Disse ainda que eles estavam planejando comprar um barco para transportar armas e munição do Iêmen, do Sudão e da Somália para o Egito.

Na semana passada, o governo de Israel advertiu seus cidadãos para não visitarem o deserto do Sinai.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaterrorismoEgitoHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.