Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Hillary: acordo nuclear entre EUA e Rússia está próximo

A Rússia e os Estados Unidos estão "na iminência" de firmar um novo tratado de desarmamento nuclear, após resolverem todas as questões mais importantes nesse assunto, afirmou hoje a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton.

AE, Agencia Estado

19 de março de 2010 | 11h58

Negociadores dos dois países têm trabalhado intensamente para chegar a um pacto que deve substituir o Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start) - que expirou em dezembro -, mas ainda não finalizaram o trabalho.

"Nós estamos encorajados pelo progresso no novo tratado Start", disse Hillary, após se reunir com o presidente russo, Dmitry Medvedev. "Nossas equipes de negociação informaram que haviam resolvido todos os temas importantes. Há alguns pontos técnicos que faltam, mas estamos na iminência de firmar um novo acordo entre Estados Unidos e Rússia."

O ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, também manifestou otimismo sobre as chances de um novo pacto, que deve prever reduções drásticas nos arsenais nucleares dos dois países, rivais na Guerra Fria. "Nós acreditamos que em breve possamos conseguir finalizar as negociações para um novo acordo", afirmou Lavrov, ao lado de Hillary.

Diferenças políticas

Os comentários representam uma indicação clara de que o novo Start está próximo. Anteriormente, reportagens notavam que o tema estava emperrado por causa de importantes diferenças políticas entre os dois lados.

Nenhuma das autoridades, porém, falou em prazos para a assinatura do novo tratado pelos presidentes Barack Obama e Dmitry Medvedev. A mídia russa informou que os dois líderes devem firmar um acordo final no Leste Europeu, antes de um encontro sobre segurança nuclear que os EUA devem sediar, nos dias 12 e 13 do próximo mês.

Obama e Medvedev concordaram, em julho, que o novo acordo deve reduzir o número de ogivas nucleares dos dois países, destruindo 1.500 a 1.675 delas em cada nação. Os EUA mantêm atualmente cerca de 2.200 ogivas nucleares, enquanto a Rússia guarda em torno de 3 mil. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUARússiaHillarydesarmamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.