Hillary acusa Irã de manter esforços para patrocinar terror

Secretária diz que está preocupada com temor na região causado por Teerã

, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2009 | 00h00

Apesar de o Irã não estar no itinerário de Hillary Clinton em sua primeira viagem ao Oriente Médio como secretária de Estado, o país não saiu de sua cabeça. Após três dias de encontros no Egito, Israel e Cisjordânia, Hillary disse que ficou preocupada com o profundo temor na região sobre o Irã e sua ingerência. "Está claro que o Irã deseja interferir nas questões dessas pessoas e tenta manter seus esforços para patrocinar o terrorismo, seja o Hezbollah, o Hamas ou outros grupos", disse a repórteres em Ramallah, Cisjordânia, após um encontro com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas.Hillary mencionou especificamente os palestinos, dizendo que o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, estava tentando minar a Autoridade Palestina ao exortar os muçulmanos a resistir a Israel.Mais tarde, enquanto seguia para a Europa, para uma reunião da Otan e um encontro com o chanceler russo, Serguei Lavrov, ela invocou o Irã novamente, dizendo que a ameaça de um ataque com mísseis de Teerã, poderia servir como base para uma cooperação entre os EUA e a Rússia sobre a questão do escudo antimíssil americano, ao qual Moscou se opõe. "É importante destacar que eu e outros achamos que o Irã representa uma ameaça à Europa e à Rússia", disse. "Como podemos cooperar sobre isso? É uma ampla área a ser explorada", declarou a secretária.Questionada sobre a busca do apoio de Moscou para conter o programa nuclear iraniano, em troca do abandono do escudo antimísseis que Washington quer instalar no Leste Europeu, a secretária de Estado afirmou que colocará a barganha "em um caminho sério".Segundo Hillary, Moscou começou a aceitar o argumento de que o sistema antimísseis não tem a intenção de prejudicar a Rússia, mas protegê-la e à Europa de vizinhos ameaçadores, referindo-se ao Irã.AMEAÇA IRANIANAAinda ontem, o general Mohammad Ali Jaafari, comandante da Guarda Revolucionária iraniana, advertiu que todas as instalações nucleares israelenses já se encontram dentro do raio de alcance de mísseis do Irã. As bases "em diferentes lugares da terra sob ocupação do regime sionista estão sob alcance dos mísseis de defesa do Irã", disse. A declaração reforçou a ameaça de retaliação iraniana caso Israel ou os EUA decidam atacar as instalações nucleares do regime persa. Segundo Jaafari, o Irã deve ser "reconhecido" como potência regional.NYT, REUTERS E AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.