Hillary analisará se retira grupo iraniano de lista do terror

O governo americano afirmou ontem que a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, analisará se retira ou não da lista de grupos terroristas a organização iraniana dissidente Mujahadin-e Khalq (MEK), que há dois meses fechou seus campos de refugiados no Iraque e passou a cooperar com Washington.

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2012 | 03h08

O grupo entrou com uma ação em um tribunal americano para ter seu nome retirado da lista. Ontem, no entanto, Robert Loeb, advogado do Departamento de Justiça, afirmou em sessão da Suprema Corte de Apelações da capital que o governo "não está preparado" para suprimir o MEK da lista. Segundo ele, a Casa Branca aguarda o esvaziamento total do campo de Ashraf, no Iraque, para tomar uma decisão sobre o caso.

De acordo com o Departamento de Estado, Hillary planeja anunciar a posição oficial dos EUA em 60 dias. É a primeira vez que o governo americano estabelece publicamente um prazo rígido para analisar esse tipo de caso.

O MEK faz parte da lista de grupos terroristas desde 1997 por ter planejado e executado atentados que mataram cidadãos americanos nos anos 70. O grupo, que recebeu refúgio no Iraque de Saddam Hussein durante a Guerra Irã-Iraque, nos anos 80, defende a derrubada da teocracia iraniana. / REUTERS e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.