Susan Walsh/Reuters
Susan Walsh/Reuters

Hillary antecipa volta de viagem pela África por conta da erupção de vulcão

Vulcão na Eritreia entrou em erupção no domingo e cinzas se deslocam para Etiópia, última parada de Hillary

13 de junho de 2011 | 18h43

WASHINGTON - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, teve que terminar sua viagem pela África nesta segunda-feira, 13, por conta da erupção de um vulcão na Eritreia, país vizinho a Etiópia, sua última parada no continente.

 

A nuvem de cinza vulcânica se desloca em direção a capital etíope, Addis Abeba, onde Hillary chegou nesta segunda-feira, com a intenção de ficar até a tarde de terça-feira, 14, segundo o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner.

 

"Infelizmente, aconselharam Hillary a retornar antes devido a nuvem de cinza", afirmou Toner. "Porém, a questão diplomática da viagem não foi afetada e ela se comprometeu a voltar mais adiante e completar sua agenda", completou.

 

O porta-voz não esclareceu se a secretária de Estado já deixou a capital etíope ou se ainda está em Addis Abeba. Toner apenas sinalizou que Hillary planeja deixar a cidade logo, pois as autoridades estudam fechar o aeroporto nas próximas horas.

 

De acordo com Toner, Hillary já cumpriu os principais pontos diplomáticos de sua agenda na Etiópia - a visita a sede da União Africana e a reunião com autoridades etíopes e com representantes do Sudão - e que os compromissos cancelados estavam relacionados com iniciativas humanitárias.

 

África. A viagem de Hillary começou na última sexta-feira. A secretária de Estado já havia visitado a Zâmbia e a Tanzânia, em um esforço para reforçar os laços comerciais dos Estados Unidos com a África e intensificar o diálogo sobre as zonas instáveis, como Líbia e Síria.

 

Em seu discurso nesta segunda-feira na sede da União Africana, Hillary pediu que os países africanos apoiem a iniciativa do Ocidente para expulsar o líder líbio Muamar Kadafi.

 

Durante sua passagem pela Zâmbia, a secretária de Estado americana discursou no encerramento da conferência sobre a Lei de Crescimento e Oportunidades para a África, onde pediu aos líderes africanos que acelerem a luta contra a corrupção. A visita a Tanzânia teve caráter mais humanitário. Hillary aproveitou sua conversa com o primeiro-ministro do país, Mizengo Pinda, para anunciar que o governo americano irá aumentar sua ajuda anual para o combate a desnutrição infantil na Tanzânia.

Tudo o que sabemos sobre:
Hillary ClintoÁfricaEUAvulcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.