Hillary anuncia ajuda econômica a Islamabad

Pacote de US$ 500 milhões destinado ao governo paquistanês servirá para resgatar imagem dos EUA e obter apoio para guerra no Afeganistão

Reuters e AP, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2010 | 00h00

ISLAMABAD

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, anunciou ontem em Islamabad projetos de ajuda no valor de US$ 500 milhões ao Paquistão. O objetivo é conquistar a simpatia da opinião pública local e o apoio paquistanês para a guerra contra os insurgentes islâmicos no vizinho Afeganistão.

A viagem de Hillary faz parte do diálogo estratégico entre EUA e Paquistão, dois países envolvidos no combate ao Taleban e à Al-Qaeda. "Não queremos só um diálogo entre governos, mas também um diálogo entre povos", disse Hillary, que embarca hoje para o Afeganistão.

No Paquistão, ela anunciou também vários projetos, entre eles programas agrícolas e a construção de hidrelétricas e hospitais - todos bancados por uma lei, aprovada em 2009 pelo Congresso americano, que triplicou a ajuda civil ao Paquistão, que chegará a US$ 7,5 bilhões nos próximos cinco anos.

Os projetos são os primeiros incluídos no novo plano de ajuda ao Paquistão, onde, segundo pesquisas, menos de 20% da população tem opinião favorável sobre os EUA. " São investimentos de longo prazo, no futuro do Paquistão", afirmou Hillary.

O chanceler paquistanês, Shah Mehmood Qureshi, disse que as relações entre Washington e Islamabad passam por uma "fase de transformação". O Paquistão reivindica vantagens comerciais, ajuda para enfrentar o terrorismo e "acesso sem discriminações" à energia - eufemismo para exigir um acordo nuclear civil igual ao firmado entre EUA e Índia, rival dos paquistaneses.

Os dois países sofreram um afastamento nos anos 80, quando o Paquistão rejeitou ajudar os EUA na luta contra os soviéticos no Afeganistão, mas o Paquistão tornou-se recentemente num aliado na luta contra o terror. "É claro que há um legado de desconfiança que não será eliminado da noite para o dia", disse Hillary. "Mas queremos mostrar que os EUA estão preocupados com o Paquistão no longo prazo e nossa parceria vai além dos ganhos em segurança."

O plano americano

Hospitais

Ampliação e reconstrução de três hospitais nas regiões metropolitanas de Lahore e Karachi

Hidrelétricas

Construção de duas represas que fornecerão energia elétrica a cerca de 300 mil pessoas perto da fronteira afegã

Água

Reforma do sistema de abastecimento de água na cidade de Peshawar e no sul

da Província de Punjab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.