Hillary apela para Sudão e Sudão do Sul resolverem disputa petrolífera

A secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, exortou nesta sexta-feira o Sudão e o Sudão do Sul a resolverem uma disputa petrolífera que deixou os dois países africanos à beira de uma guerra.

ANDREW QUINN, Reuters

03 de agosto de 2012 | 13h58

Hillary se tornou a mais graduada funcionária dos EUA a fazer uma visita a Juba, capital do Sudão do Sul, desde que esse país se tornou independente, há um ano. Ela desembarcou horas depois de terminar um prazo dado pelo Conselho de Segurança da ONU para que os dois vizinhos resolvam uma longa lista de disputas, que incluem a segurança na fronteira comum e pagamentos relacionados à exploração de petróleo.

O Sudão do Sul se tornou independente do Sudão após um referendo, realizado no ano passado, que estava previsto em um acordo de paz de 2005 que encerrou décadas de guerra civil no que era o maior país da África.

A confusa secessão não esclareceu questões como a posição da fronteira e o quanto o Sudão do Sul, sem acesso ao mar, deverá pagar a Cartum para exportar seu petróleo pelo norte. O petróleo é vital para as economias de ambos os países.

Tudo o que sabemos sobre:
SUDAOHILLARY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.