Hillary apoia diálogo com grupo islâmico do Egito

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, expressou hoje um apoio discreto ao diálogo liderado pelo regime egípcio com a Irmandade Muçulmana, grupo de caráter islâmico que é o principal movimento de oposição no país. "Nós soubemos hoje que a Irmandade Muçulmana decidiu participar, o que significa que eles estão pelo menos envolvidos no diálogo que encorajamos", observou Hillary, que está em viagem oficial pela Europa.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2011 | 20h50

Hillary disse ainda que os EUA continuam tentando se aproximar da Irmandade Muçulmana por meio de "diálogos limitados". "Com a evolução do panorama político no Egito, é do interesse dos EUA dialogar com todas as partes que se mostram pacíficas e não violentas", afirmou.

Em resposta, a Irmandade Muçulmana declarou-se hoje aberta ao diálogo com os EUA, segundo anunciou um de seus porta-vozes, Mahmoud Ghozlan. "Desejamos encontros em um contexto de respeito", afirmou.

"Há algum tempo, desaprovamos a política norte-americana de apoio aos ditadores em detrimento do povo da região. Os Estados Unidos são o país ocidental mais odiado pelos árabes por essa razão", disse Ghozlan. "Mas, se os EUA querem realmente respeitar nossos valores e apoiar a liberdade, como dizem, nesse caso, não representam um problema para nós." As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEgitoHillary

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.