Hillary assume a responsabilidade por falhas em Benghazi

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, afirmou que era dela - e não da Casa Branca - a responsabilidade pela segurança da representação diplomática em Benghazi, Líbia, onde o embaixador Christopher Stevens e outros três norte-americanos foram mortos no mês passado.

AE, Agência Estado

16 de outubro de 2012 | 11h36

"Eu assumo a responsabilidade", afirmou Hillary em entrevista para a rede CNN. "Eu sou a secretária de Estado, com mais de 60 mil funcionários em todo o mundo. É como uma grande família... É doloroso, absolutamente doloroso".

Seus comentários vêm após republicanos, incluindo o candidato à presidência Mitt Romney, terem criticado o governo por falhas na segurança ocorridas antes dos ataques e também as explicações dadas após o ocorrido. O assunto foi discutido no debate entre os candidatos à vice-presidência, Joe Biden, na chapa com Obama, e Paul Ryan, com Romney. Na ocasião, Biden disse que a Casa Branca não estava ciente dos pedidos de mais segurança, o que Hillary parece confirmar.

O Departamento de Estado diminuiu o número de funcionários de segurança na Líbia meses antes do ataque ao consulado, apesar de pedidos de mais pessoal, oficiais disseram para o Congresso na semana passada. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAClintonBenghazi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.