Hillary chega às prévias de Ohio e Texas sob pressão para vencer

O destino de Hillary Clinton nasprévias do Partido Democrata contra Barack Obama para aseleições de novembro nos Estados Unidos está nas mãos doseleitores de Ohio e do Texas. Os eleitores já começaram a votar nos Estados de Vermont,Rhode Island, Ohio e Texas, e o processo termina às 19h30 emOhio (21h30 em Brasília) e às 22h no Texas (23h em Brasília),os Estados mais importantes em votação nesta terça. Hillary, senadora pelo Estado de Nova York que tentarecuperar-se nas prévias após sofrer 11 derrotas consecutivaspara Obama, precisa vencer em Ohio e no Texas para continuarcom chances de conquistar a vaga. Se conseguir, ela prolonga a disputa pelo menos até asprévias da Pensilvânia, no dia 22 de abril. Caso seja derrotada em um dos Estados em votação nestaterça, a pré-candidata pode assistir a uma debandada dosdemocratas rumo a Obama e a um aumento da pressão paraabandonar a corrida. Pesquisas de intenção de voto mostram os doispré-candidatos disputando palmo a palmo a preferência doeleitor nos dois Estados, em meio ao processo que elege osdelegados responsáveis por escolherem o candidato do PartidoDemocrata no pleito de novembro. "Acho que sei o que está acontecendo e acredito que vamosnos sair bem amanhã", afirmou na segunda-feira a senadora, quepode se tornar a primeira mulher a ocupar a Presidência dosEUA. "Depois vamos para a Pensilvânia e para os demais Estados",afirmou. "Eu estou apenas esquentando os motores." Uma pesquisa da Reuters/C-Span/Houston Chronicle divulgada,nesta terça, mostrou que Hillary saltou à frente de Obama, quese tornaria o primeiro presidente negro dos EUA, no Texas eaparece empatada em Ohio. No Texas, a senadora aparece com 47 por cento das intençõesde voto, contra 44 por cento para Obama, que é senador peloEstado do Illinois. A vantagem está dentro da margem de erro dapesquisa, de 3,4 pontos percentuais. Em Ohio, os dois pré-candidatos aparecem empatados em 44por cento, disse a pesquisa, realizada pelo instituto ZogbyInternational. O resultado representa um pequeno ganho paraHillary, já que Obama aparecia na segunda-feira liderando com 2pontos percentuais de vantagem. As prévias de terça-feira também podem colocar opré-candidato republicano John McCain à beira de conquistar osvotos necessários para garantir sua indicação. McCain lideracom folga a corrida pela vaga do partido contra o ex-governadordo Arkansas Mike Huckabee. DIMINUINDO AS EXPECTATIVAS Na segunda-feira, assessores de Hillary tentavam diminuiras expectativas em torno das prévias de terça-feira, voltandoatrás a respeito das previsões de que a pré-candidata precisavavencer nos dois Estados, que elegem 334 delegados no total. Obama, de outro lado, ressaltou a importância das votaçõesem um comício realizado em Houston (Texas), na segunda-feira. "Nós estamos chegando aqui com chances de conquistar a vagado partido", afirmou o pré-candidato. Da mesma forma que seu marido, o ex-presidente BillClinton, que ganhou o apelidou de "Comeback Kid" (garoto davolta por cima) quando, contrariando as previsões, conquistou aPresidência em 1992, Hillary já escapou de desastres outrasvezes. Em janeiro, Obama parecia prestes a desferir-lhe um golpearrasador em New Hampshire, após ter vencido fácil em Iowa. Masa senadora contrariou as pesquisas e venceu as prévias daqueleEstado. Depois da derrota na Carolina do Sul, a ex-primeira-damaconseguiu empatar com Obama nas prévias da "superterça", no dia5 de fevereiro. Segundo as regras do Partido Democrata, os pré-candidatoselegem delegados segundo a proporção dos votos que recebem.Isso significa que Hillary só conseguiria superar a vantagem deque Obama dispõe atualmente se vencesse com folga em Ohio e noTexas, algo aparentemente improvável. Uma contagem feita pela MSNBC conferiu a Obama 1.194delegados, contra 1.037 para Hillary, uma vantagemsignificativa, mas ainda distante do total de 2.025 delegadosnecessário para garantir a vaga na eleição presidencial. (Reportagem adicional de Ellen Wulfhorst, Caren Bohan, JeffMason e Donna Smith)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.