Reuters
Reuters

Hillary Clinton chega ao Iraque em visita surpresa

Visita acontece em meio à retirada progressiva das tropas americanas, que abandonarão o país até 2011

EFE

25 de abril de 2009 | 04h46

A secretária de Estado americana , Hillary Clinton, chegou neste sábado a Bagdá para uma visita surpresa que coincide com uma das ondas de violência mais graves dos últimos meses no país, que resultou na morte de 155 pessoas nos últimos dois dias, informou a Al Jazira.

 

Segundo a Al Jazira, Hillary disse que o Iraque está no "caminho correto", apesar dos atentados registrados nos últimos dois dias, que deixaram mais de 140 mortos.

 

A primeira visita de Hillary ao Iraque desde que assumiu o cargo, em 22 de janeiro, também foi confirmada pela televisão oficial iraquiana, mas ainda se desconhece quantos dias ela permanecerá em Bagdá. Hillary deve se encontrar com autoridades iraquianas, entre elas o secretário de governo Hoshyar Zebari, o primeiro-ministro Nouri el Maliki e o presidente Jalal Talabani.

 

A visita também acontece em meio a uma retirada progressiva das tropas americanas destacadas no Iraque. No final de junho, abandonarão os centros urbanos e a retirada definitiva acontecerá até 2011.

 

Na sexta-feira, cerca de 60 pessoas morreram e mais de 130 ficaram feridas em um duplo atentado suicida contra peregrinos xiitas, muitos deles iranianos, que tinham chegado a um santuário do norte desta capital.

 

Na quinta-feira, 84 pessoas morreram e 126 ficaram feridas em dois atentados, um deles contra peregrinos xiitas iranianos na província de Diyala e o outro no centro de Bagdá.

 
Tudo o que sabemos sobre:
HILLARYIRAQUEBAGDÁ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.