Hillary Clinton considera Bush ´incompetente´ no Iraque

A candidata à Presidência dos Estados Unidos Hillary Rodham Clinton chamou a política do presidente norte-americano George W. Bush no Iraque de incompetente, mas foi pressionada a explicar seu voto a favor da guerra. "Se você estava tão obcecado em fazer isso, por que foi tão incompetente na realização?", disse a senadora de Nova York sobre Bush em sua primeira visita política em uma década à New Hampshire, o Estado que dá início à corrida pela Casa Branca. "Dei-lhe autoridade para enviar inspetores e determinar a verdade. Disse que não era um voto para autorizar uma guerra preventiva", afirmou ela, respondendo a uma pergunta de um dos 250 eleitores na sede da Prefeitura de Berlin, em New Hampshire. Hillary, que se opôs aos planos de enviar mais 20 mil soldados dos EUA ao Iraque, vem sendo criticada por alguns democratas por ter demorado em fazer oposição ao conflito e por sua hesitação em renunciar a seu voto em 2002 autorizando a guerra do Iraque. No início da campanha de dois dias pelo Estado, Hillary disse que os Estados Unidos precisam de um novo toque diplomático para combater o terrorismo e lidar com o Oriente Médio. "Como presidente, sei que não posso matar, prender ou ocupar todo o país com o qual não concordo, e não posso querer que todos os terroristas sejam eliminados da face da Terra", disse Hillary, que pretende tornar-se a primeira presidente mulher da história dos Estados Unidos. A mulher do ex-presidente Bill Clinton aparece em primeiro lugar nas pesquisas de opinião entre os democratas que votam nas primárias de New Hampshire, com 35% das intenções de voto, segundo pesquisa da Universidade de New Hampshire. O democrata Barack Obama, que lançou sua candidatura neste sábado com uma promessa de dar fim à guerra no Iraque, aparece em segundo lugar, com 21%, e o candidato à vice-presidente em 2004 John Edwards, está em terceiro, com 16%. A lei de New Hampshire prevê que as eleições primárias, que determinam os candidatos de cada partido à Presidência, sejam realizadas naquele Estado pelo menos uma semana antes de qualquer outra primária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.