Jonathan Ernst/Reuters
Jonathan Ernst/Reuters

Hillary Clinton: EUA vão intensificar apoio à oposição na Síria

Com relação aos confrontos em Alepo, secretária de Estado disse que 'ritmo dos eventos está se acelerando' no país

AE, Agência Estado

24 de julho de 2012 | 16h59

WASHINGTON - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse nesta terça-feira, 24, que Washington vai trabalhar em estreita colaboração com a oposição síria, a fim de forçar o presidente Bashar Assad a deixar o poder. Após fracassarem em obter uma resolução no Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), por causa do veto de Rússia e China, os EUA estão trabalhando por fora do Conselho para enviar "uma clara mensagem de apoio à oposição", disse ela.

Veja também:

link Forças sírias atacam mesquita e 30 podem ter morrido

link Cidade síria de Alepo enfrenta quarto dia de combates

link Rússia alerta Síria contra o uso de armas químicas

"Acreditamos que não é tarde demais para que o regime de Assad comece a pensar no planejamento de uma transição, em busca de uma maneira de encerrar a violência e iniciar discussões sérias, o que até agora não fez", afirmou Hillary aos jornalistas.

Referindo-se aos combates pesados na segunda maior cidade do país, Alepo, Hillary disse: "Estamos bem cientes de que o ritmo dos eventos está se acelerando dentro da Síria". Ela acrescentou que a oposição também "tem de estar preparada. Eles têm de começar a trabalhar com entidades governamentais interinas".

Com Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.