Hillary Clinton pede apoio ao combate ao terror na Índia

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, fez hoje uma defesa apaixonada das demandas norte-americanas para que Índia e outros países se esforcem mais para combater o terrorismo e o aquecimento global. Iniciando uma visita de três dias à Índia, ela enfatizou interesses comuns, simbolizados pelos ataques terroristas ocorridos em Mumbai em novembro de 2008, que deixou 166 mortos. Hillary afirmou que o terrorismo tem que ser eliminado mas que os Estados Unidos não conseguem fazer isso sozinhos.

AE-AP, Agencia Estado

18 de julho de 2009 | 13h40

Parte do motivo para a visita de Hillary é o sentimento entre indianos de que a administração Obama está se concentrando mais em sua campanha antiterror no Afeganistão e no Paquistão do que na Índia. A secretária é a mais elevada autoridade administrativa a visitar a Índia, onde ela é muito popular desde que visitou o país como primeira dama na década de 90.

Sem mostrar nenhum efeito visível da cirurgia no cotovelo realizada em junho, Hillary encontrou-se com líderes empresariais e participou de um debate televisivo sobre os problemas enfrentados pela educação na Índia e nos Estados Unidos.

Foi seu primeiro evento do dia, contudo, no qual demonstrou de forma mais expressiva a mensagem principal que trouxe de Washington. Hillary disse que o governo americano está comprometido com a luta contra o terrorismo e que espera que todos aqueles que partilham o desejo americano de terminar com o extremismo violento se esforcem para não deixar que o terrorismo crie raízes em seu solo. "Nós estamos lutando para terminar com o terrorismo contra nós, nossos amigos e aliados ao redor do mundo", disse. Hillary também indicou que em Nova Deli, para onde ela continua sua viagem amanhã, irá falar com autoridades do governo sobre como a Índia pode ter um papel mais forte na batalha contra o terror.

Hillary também está na Índia para falar sobre a questão da mudança climática, que está provocando controvérsia entre Índia e Estados Unidos. Washington está forçando a Índia a aceitar limites para suas emissões de gás carbônico, como parte de um acordo global para mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Hillary pediu para que a Índia assuma um papel importante evitando os erros cometidos durante a industrialização norte-americana. Para enfatizar a importância do assunto, Hillary viajou com a autoridade especial para mudanças climáticas do governo americano, Todd Stern.

Tudo o que sabemos sobre:
Hillaryterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.