Luong Thai Linh/Reuters
Luong Thai Linh/Reuters

Hillary Clinton pede negociações para encerrar crise egípcia

Secretária de Estado norte-americana pediu que integrantes do Parlamento e militares conversem

estadão.com.br,

10 de julho de 2012 | 14h09

HANÓI - A secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton, pediu nesta terça-feira, 10, a realização de conversações entre todos os envolvidos no confronto entre o Parlamento egípcio e os militares para encerrar a crise no país. "Nós pedimos que haja um diálogo intensivo entre todos os participantes para assegurar que haja um caminho claro a ser seguido", disse ela em coletiva de imprensa no Vietnã.

Veja também:

link Suspenso decreto que reconvocou Parlamento egípcio

link Parlamento do Egito se reúne apesar de decisão judicial

O povo egípcio deve "receber os benefícios pelos quais foram às ruas protestar, pelo que votaram, ou seja, um governo completamente eleito que tome decisões para que o país siga adiante", acrescentou ela.

O Parlamento egípcio, dominado por islamitas, se reuniu nesta terça, uma atitude de desafio aos poderosos miliares e ao Judiciário, após um decreto do presidente recém-eleito, Mohamed Morsi, pela reinstalação da Assembleia. Mais tarde, o Supremo Tribunal Constitucional do Egito congelou o decreto emitido por Morsi que reconvocou o Parlamento.

Hillary, que está no Vietnã, uma das paradas de sua viagem pelo sudoeste da Ásia, irá ao Egito no final de semana, onde vai se reunir com Morsi.

Com Associated Press

Mais conteúdo sobre:
EgitopolíticaHillary Clinton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.