AP Photo/J. Scott Applewhite
AP Photo/J. Scott Applewhite

Hillary consegue apoio de congressistas negros na corrida eleitoral dos EUA

O apoio chega depois de Sanders derrotar Hillary na terça-feira por mais de 20 pontos porcentuais nas eleições primárias do Estado de New Hampshire, cuja população é de maioria branca

O Estado de S. Paulo

11 de fevereiro de 2016 | 18h24

WASHINGTON - A pré-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, obteve nesta quinta-feira, 11, o apoio do Comitê de Ação Política (PAC) do Caucus Negro do Congresso (CBC) em sua corrida para as eleições presidenciais de novembro.

"Devemos ter um presidente que seja um especialista em política nacional e internacional", afirmou o congressista democrata e presidente do CBC, G.K. Butterfield, em entrevista coletiva em Washington, em referência à experiência de Hillary. "Não cabe dúvida em nossas mentes que apenas uma candidatura possui a paciência, a experiência e o temperamento" para chegar à presidência, afirmou Butterfield ao citar a ex-secretária de Estado.

Por sua vez, o presidente do Comitê de Ação, o congressista democrata Gregory Meeks, destacou que Hillary "foi, durante toda sua carreira, uma pessoa que lutou pelos assuntos que são importantes para a comunidade afro-americana".

"Uma dessas pessoas que esteve conosco, várias vezes, foi Hillary Clinton", ressaltou Meeks em entrevista à emissora de televisão CNN, ao ressaltar que o respaldo à ex-primeira-dama significa "fazer o correto".

O respaldo a Hillary foi anunciado poucas horas antes de um novo debate televisionado entre a ex-secretária de Estado e seu rival na disputa pela candidatura democrata, o senador Bernie Sanders.

O apoio do CBC chega depois de Sanders derrotar Hillary na terça-feira passada por mais de 20 pontos porcentuais nas eleições primárias do Estado de New Hampshire, cuja população é de maioria branca.

Ambos pré-candidatos tentam agora conquistar o voto afro-americano antes de chegar aos estados nos quais essa comunidade pode ser decisiva, especialmente a Carolina do Sul, que receberá as primárias democratas no próximo dia 27 de fevereiro.

Sanders se reuniu ontem em Nova York com o influente reverendo negro Al Sharpton, que ainda não deu seu apoio público a nenhum candidato à indicação do Partido Democrata para as eleições presidenciais.

Por outro lado, o senador por Vermont conseguiu no dia 5 o respaldo do líder pelos direitos dos negros nos EUA, Ben Jealous, que foi presidente da Associação Nacional para o Progresso das Pessoas de Cor (NAACP).

Segundo as pesquisas de intenções de voto, Hillary tem mais popularidade que Sanders entre minorias como os latinos e os afro-americanos, cujo voto tem sido fundamental para eleger o presidente dos EUA. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.