Hillary declara-se 'indignada' com massacre sírio

A secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton disse estar indignada com os relatos de um novo massacres na Síria e exigiu que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) tome uma atitude para interromper a violência.

AE, Agência Estado

13 de julho de 2012 | 16h41

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, Hillary disse que a história via julgar o conselho por seus atos. Ela pediu a seus integrantes que se perguntem se a falta de ação é o legado que eles querem deixar.

Embora não tenha feito citações nominais, Hillary fez uma advertência direta à Rússia e China, que têm bloqueado os esforços da ONU de impor sanções à Síria. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
SíriaviolênciaHillary

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.