Hillary define plano para o Iraque de "estratégia perdida"

A senadora Hillary Clinton, que chegou do Iraque no fim de semana, afirmou na quarta-feira que "os Estados Unidos deveriam cortar o número de tropas no país e aumentar as Forças Americanas no Afeganistão". Opositora da proposta de Bush de enviar mais 20 mil tropas adicionais para Bagdá, ela classificou o plano como uma "estratégia perdida" e "uma péssima missão". Hillary também se propôs a definir novos rumos para a guerra.A senadora, potencial candidata às eleições presidenciais de 2008, voltou a dar declarações sobre a política dos EUA, após o senador Barack Obama, cuja popularidade vem aumentando dentro do Partido Democrata, apresentar os documentos de sua candidatura na terça-feira.Em entrevista para redes de TV americanas, Hillary reafirmou sua oposição ao aumento de tropas proposto pelo presidente George W. Bush para o Iraque, e disse que é a favor da retirada dos soldados do país. Ela também se mostrou favorável ao apoio econômico para o progresso das metas políticas do governo iraquiano."A administração Bush falhou em direcionar suas atenções para alavancar este governo", disse a senadora ao programa Early Show da rede CBS.No Afeganistão, Hillary se referiu ao conflito como "uma das grandes oportunidades perdidas". "Temos que focar no Afeganistão e fazer direito", disse Hillary.A senadora evitou questões sobre o senador Barack Obama, que surgiu como grande adversário para a corrida pela nomeação do novo candidato à presidência do partido democrata.Segundo o The New York Times, a senadora apareceu na mídia para ofuscar o pronunciamento de Obara. Pessoas próximas à ela negaram essa intenção, mas suas entrevistas às grandes redes de TV e rádio serviram para "tentar falar diretamente ao maior número possível de pessoas"."Teremos um vigoroso debate de ambos os lados", Hillary afirmou no programaToday, da NBC. "Os eleitores que decidirão", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.