Hillary diz que tentativa de volta é ''imprudente''

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, qualificou ontem de "imprudente" a tentativa do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, de voltar a seu país. Segundo Hillary, a tentativa não contribui para restaurar a ordem democrática e constitucional em Honduras. Em entrevista coletiva em Washington, ao lado do primeiro ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, ela pediu ao presidente deposto e a outros envolvidos na crise política de Honduras que "reafirmem seu compromisso com uma solução negociada e pacífica, que mantenha a integridade da democracia hondurenha e a segurança e bem-estar da população do país". As declarações foram feitas no momento em que o mandatário hondurenho cruzava a fronteira da Nicarágua para entrar em Honduras, onde permaneceu por mais de meia hora. "Pedimos aos dois lados, em diversas ocasiões, que evitassem provocações que levem à violência", afirmou Hillary. "Conclamamos as duas partes a aceitar a proposta do presidente (da Costa Rica) Oscar Arias (mediador do diálogo entre representantes de Zelaya e do governo de facto). Essa é a base para uma solução pacífica", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.