Hillary é favorita na maioria das disputas democratas

A ex-secretária de Estado Hillary Clinton chega hoje à Superterça com uma vantagem confortável na maioria dos Estados em disputa sobre o seu principal rival, o senador Bernie Sanders. Hillary só está atrás nas pesquisas em Vermont, Estado natal do adversário e tem vantagens pequenas em Massachusetts e Oklahoma.

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

01 de março de 2016 | 08h40

Após as vitórias em Nevada e na Carolina do Sul, a ex-primeira-dama se recuperou de um começo ruim na disputa democrata, com uma vitória apertada em Iowa e uma derrota em New Hampshire. Sanders, um social-democrata que faz sua campanha contra as grandes empresas e Wall Street, perdeu fôlego conforme a campanha moveu-se para Estados mais diversificados etnicamente. Ele encontra dificuldade com o eleitorado latino e afro-americano.

“Não acredito que os Estados Unidos tenham deixado de ser grandes. Penso que devemos devolver a unidade ao país”, disse Hillary em um evento de campanha no domingo, em uma referência indireta ao mote de campanha do magnata Donald Trump, favorito a vencer a disputa do lado republicano. “Preciso que vocês votem e tragam seus amigos e familiares para votar.”

Sanders admitiu ter sido “devastado” na Carolina do Sul, onde 86% do eleitorado negro optou pela ex-secretária de Estado. Ele tentará equilibrar a disputa em Estados como Massachusetts, Minnesota, Oklahoma e Colorado, onde jovens democratas têm uma grande afinidade com suas propostas.

Hillary, por outro lado, aposta nos Estados do sul do país, apostando no forte apoio da população afro-americana. Com a diversificação populacional na região e o aumento do apelo dos democratas entre os jovens de classe média, analistas acreditam que o partido pode surpreender nas eleições gerais de novembro no sul, tradicionalmente dominado pelos republicanos desde os anos 80.

“A futura coalizão democrata será uma fusão desses grupos”, disse Ruy Teixeira, pesquisador do Center for American Progress. Na avaliação do analista, a grande questão para os democratas será a velocidade com a qual conquistará o eleitorado branco jovem. “Eles não podem esperar o crescimento populacional de minorias étnicas. ”

E-mails. Ainda ontem, o departamento de Estado publicou o último lote de e-mails enviados de Hillary durante seu período à frente da diplomacia americana, em determinação de ordem judicial. Os documentos estavam em um servidor privado da ex-secretária de Estado.

O FBI, o departamento de Justiça e duas comissões do Congresso liderados por republicanos investigam o caso para determinar se houve alguma violação. Hillary também tem sido alvo dos republicanos sobre sua reação ao ataque ao consulado americano em Benghazi, na Líbia, que matou o embaixador John C. Stevens, em 2012. / AFP, EFE e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.