Hillary e ministro chinês evitam polêmica sobre navios

Os Estados Unidos e a China procuram acalmar as tensões sobre o confronto entre um navio norte-americano e embarcações chinesas no Mar do Sul da China durante encontro entre a secretária de Estado Hillary Rodham Clinton, e seu colega chinês, Yang Jiechi. Antes da reunião em Washington, nem Hillary nem o ministro de Relações Exteriores da China mencionaram o incidente, mesmo depois de o governo chinês ter devolvido, pelo segundo dia consecutivo, as reclamações norte-americanas de que navios do país asiático perturbaram um navio de mapeamento da marinha dos EUA em águas internacionais, no domingo. Hillary afirmou à imprensa que a visita de Yang ao Departamento de Estado foi um acontecimento "muito positivo" e que ela espera continuar as discussões que teve com o ministro chinês durante sua viagem a Pequim no mês passado. Yang disse que "estamos aqui para nos prepararmos para a reunião de nossos chefes de Estado em Londres e trabalharmos juntos para impulsionar nosso relacionamento", numa referência ao encontro agendado entre o presidente Barack Obama e seu colega chinês, Hu Jintao, no início de abril.Porém, o incidente no Mar do Sul da China deve ser retomado nas conversas de hoje, disse o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Robert Wood. "De tempos em tempos, tem havido elementos que fazem surgir alguma tensão", afirmou Wood. "Mas a coisa mais importante é que os Estados Unidos e a China precisam trabalhar juntos para resolver uma série de questões confrontadas pela comunidade internacional."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.