Hillary e Obama aproveitam Páscoa para tirar folga na campanha

Hillary Clinton e Barack Obamaaproveitaram o domingo de Páscoa para tirar um dia de folga emsua campanha presidencial dos Estados Unidos, algo mais do quenecessário já que sua acirrada disputa pela indicação doPartido Democrata parece propensa a se prolongar por meses. O republicano John McCain, que já assegurou sua nomeação,retornou de uma viagem ao exterior onde tentou aprimorar suascredenciais em política externa e se prepara para uma campanhade arrecadação de recursos esta semana, nos Estados do oeste. Enquanto McCain se concentrava na viagem e na arrecadaçãode fundos, os democratas, que bateram recordes na coleta derecursos no mês passado, se voltam para o próximo prêmio nacorrida das primárias: o Estado da Pensilvânia, que realiza suaprévia no dia 22 de abril. A votação na Pensilvânia é crucial para Hillary, que estáatrás de Obama em número de delegados que, na convenção dosdemocratas, em agosto, vão escolher o candidato do partido paraa eleição presidencial de 4 de novembro. Assessores da campanha de Hillary disseram no sábado que aforte arrecadação de fundos no partido mostrou que osdemocratas ainda não estão prontos para o fim da disputa entreela e Obama, mas eles rejeitaram as insinuações de que Hillaryesteja enfrentando pressão para desistir da campanha. A disputa entre os democratas provavelmente vai continuarpelo menos até junho, quando se realizam as últimas prévias dopartido. Portanto, ambos os candidatos estão descansando para olongo caminho pela frente. Hillary retomará as atividades da campanha nasegunda-feira, na Pensilvânia. Obama fez campanha no Oregon, nosábado, e depois tirou férias com a família. Ele só retornaráativamente à campanha na quarta-feira, na Carolina do Norte. Os assessores de Obama não informaram para onde ele sedirigiu com a família. Ele não foi à igreja que frequenta, emChicago, a Igreja Unida da Trindade de Cristo, que causoucontrovérsia por causa dos sermões inflamados feitos pelopastor, reverendo Jeremiah Wright. Na terça-feira, Obama fez um discurso sobre raça, no qualrejeitou os comentários de Wright, acusados de terem conotaçãoracial, e fez um chamado aos norte-americanos para que superemseu "impasse racial". Obama foi prejudicado pela controvérsia na semana passada,caindo nas pesquisas de opinião, mas uma sondagem feita peloinstituto Gallup diariamente, divulgada no sábado, mostrou queele recuperou o terreno perdido com a polêmica. Segundo apesquisa, 48 por cento dos democratas preferem Obama e 45 porcento ficam ao lado de Hillary.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.