Hillary: EUA e Rússia concordam em monitorar Irã juntos

Depois de um encontro com o chanceler russo, Serguei Lavrov, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou hoje que a Rússia e os Estados Unidos concordaram em trabalhar juntos para assegurar que o programa nuclear do Irã tenha fins pacíficos.

AE-AP, Agencia Estado

13 de outubro de 2009 | 21h08

"O Irã tem direito a uma energia nuclear pacífica, mas não tem direito a armas nucleares - e nisso a Rússia concorda conosco", disse Hillary, em entrevista coletiva concedida ao lado do chanceler russo, em sua primeira visita como secretária de Estado a Moscou.

"(Essa posição comum) é a sólida base sobre a qual a Rússia e os EUA, juntamente com seus parceiros europeus e a China, promovem suas propostas de negociação com o Irã", completou Lavrov.

No entanto, apesar das promessas de cooperação, os dois chanceleres continuaram a mostrar uma posição divergente em relação à possibilidade de impor novas sanções contra Teerã. Segundo Hillary, os Estados Unidos estão considerando essa possibilidade, ainda que "não haja chegado o momento" para aprovar as sanções.

Já a Rússia considera as ameaças de retaliação "contraproducentes". "No estágio atual, todas as forças devem ser direcionadas para apoiar o processo de negociação. Estamos convencidos de que ameaças, sanções e pressões seriam contraproducentes", afirmou Lavrov.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.