Hillary: filme que desencadeou protestos é 'repugnante'

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, assistiu ao filme sobre Maomé que desencadeou violentos protestos pelo mundo e disse considerá-lo "repugnante e repreensível". Segundo a chanceler norte-americana, trata-se de uma tentativa pejorativa de ofender pessoas por causa de suas crenças religiosas.

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2012 | 12h13

Apesar das críticas ásperas ao filme, Hillary disse que o governo norte-americano não interferirá na liberdade de expressão de seus cidadãos, por mais duvidoso que seja o gosto das opiniões retratadas.

Ainda segundo ela, o filme não pode ser usado como justificativa para episódios de violência ou para ataques a representações diplomáticas dos EUA no exterior.

Hillary disse que Washington está monitorando com atenção os protestos no Iêmen e em outras partes do mundo e pediu aos países onde forem registradas manifestações que impeçam a ocorrência de episódios de violência. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHillaryfilmeMaomé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.