Hillary indica Ross como conselheiro para o Golfo

Ex-negociador de Clinton também vai ajudar com Sudeste Asiático, mas Irã deve ser principal atribuição

NYT E AFP, O Estadao de S.Paulo

25 de fevereiro de 2009 | 00h00

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, indicou ontem Dennis Ross, ex-negociador do presidente democrata Bill Clinton (1993-2001) no Oriente Médio, como seu conselheiro especial para o Sudeste Asiático e Golfo - região que abrange o problemático Irã.Ross fornecerá a Hillary "análises estratégicas e perspectivas sobre essas regiões e também atuará para assegurar uma efetiva política de integração por toda a área", afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Wood."O Golfo e o Sudeste Asiático estão em uma área onde os EUA travam duas guerras e enfrentam os desafios do combate ao terrorismo, da proliferação nuclear, do acesso à energia, do desenvolvimento econômico e do reforço da democracia no Estado de direito", indicou um comunicado do Departamento de Estado.Apesar de o comunicado não citar nenhuma só vez o Irã, o programa atômico do país deve ser a principal preocupação de Ross, cuja nomeação já era esperada. Conhecido por sua longa mediação do conflito árabe-israelense, Ross atuou como conselheiro de Obama durante a campanha presidencial do ano passado e já trabalhou no Departamento de Estado como diretor de Planejamento Político durante o governo republicano de George H. W. Bush (1989-1993). Ele é cofundador do Washington Institute for Near East, centro de investigação considerado próximo de Israel.Também cofundador do grupo Unidos Contra um Irã Nuclear, Ross defende persuadir a Europa a aumentar sua pressão econômica sobre o governo iraniano para impedir que Teerã obtenha armas nucleares.TIME DE PESOA nomeação de Dennis Ross acrescenta outro nome importante à equipe de enviados especiais, emissários e conselheiros do departamento chefiado por Hillary. O ex-senador George Mitchell, enviado especial para o Oriente Médio, e Richard Holbrooke, o representante especial para Afeganistão e Paquistão, voltaram recentemente de viagens a suas regiões de trabalho. No entanto, diferentemente de Mitchell e Holbrooke, que são enviados do presidente dos EUA, Barack Obama, Ross se reportará exclusivamente ao Departamento de Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.