Hillary: Irã pode gerar corrida armamentista

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse nesta terça-feira que, se o Irã conseguir uma arma nuclear, poderia detonar uma corrida armamentista no Oriente Médio. Segundo ela, isso poderia gerar problemas "bastante perigosos". Hillary falou a estudantes da Universidade Dar al-Hekma, exclusiva para mulheres, em Jeddah, na Arábia Saudita.

AE-AP, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2010 | 12h25

Uma palestra de uma importante autoridade internacional é algo incomum nesse local, em um país muçulmano conservador. A lei saudita proíbe que as mulheres votem ou façam parte do gabinete de governo. Elas também não podem viajar sem a permissão de um homem.

Hillary encerrou uma visita de três dias ao Golfo Pérsico, iniciada domingo no Catar. Ela passou também por Riad, a capital saudita, e deve retornar a Washington ainda nesta terça-feira. Os EUA pressionam o Irã para que interrompa seu programa nuclear, afirmando que o país também busca secretamente produzir armas. Teerã garante que seu programa nuclear tem apenas fins pacíficos, como a produção de energia.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãarma nuclearHillary

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.