Hillary mantém silêncio sobre convite para chancelaria

A senadora Hillary Clinton manteve-se em silêncio ontem sobre o suposto convite feito a ela pelo presidente eleito, Barack Obama, para ocupar o cargo de secretária de Estado. Assessores ligados aos dois democratas confirmaram que, durante uma reunião em Chicago na quinta-feira, Obama e Hillary discutiram a chefia do departamento - considerado o principal posto da diplomacia dos EUA. Obama também se encontrou com o governador do Novo México, Bill Richardson, para conversar sobre o cargo.Apesar de o real interesse da senadora no comando do Departamento de Estado não estar claro, as opções para sua carreira política no Senado parecem estar se esgotando. Um dos principais projetos de Hillary era se tornar presidente de um comitê especial para assuntos ligados a planos de saúde, mas a idéia foi recusada pelo líder da maioria no Senado, Harry Reid.A senadora também teria sido desencorajada de tentar uma posição de destaque que ameaçaria a liderança do partido no Senado, afirmou uma fonte que não quis se identificar. Mesmo com seu status de celebridade política, Hillary poderia levar anos para acumular poder real na instituição, que preza pela longevidade de seus integrantes.No entanto, se aceitar o posto de secretária de Estado, a democrata poderia construir uma plataforma sólida para concorrer à presidência novamente daqui a oito anos. Obama também se beneficiaria porque teria garantias de que Hillary não o desafiaria nas primárias do partido em quatro anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.