Hillary muda equipe para tentar conter 'onda' Obama

A pré-candidata democrata àPresidência dos EUA Hillary Clinton substituiu no domingo acúpula da sua campanha, na tentativa de conter o avanço deBarack Obama, que comemorou mais uma vitória, no "caucus" doMaine. Hillary substituiu a coordenadora de campanha depois desofrer derrotas em vários Estados no sábado, mas assessoresnegaram que haja crise na campanha da senadora pela indicaçãodo partido às eleições de 4 de novembro. Obama havia conseguido vitórias por ampla margem no sábadonos Estados de Louisiana, Nebraska e Washington. Com a vitóriade domingo no Maine, ele chega embalado às chamadas "primáriasdo Potomac", na terça-feira, em Maryland, Virgínia e noDistrito de Columbia (onde fica a capital, Washington). Essastrês unidades federais vizinhas são banhadas pelo rio Potomac. John McCain, favorito para receber a indicação republicana,já que seu principal rival, Mitt Romney, desistiu na semanapassada, perdeu dois dos três Estados para Mike Huckabee emdisputa no sábado. No domingo, porém, recebeu um voto deconfiança do presidente George W. Bush. Em nota, Hillary disse que Maggie Williams, sua assessoranos tempos de primeira-dama, substituiu Patti Solis Doyle comocoordenadora da campanha. Solis Doyle agora apenas daráassessoria à candidata. Hillary não explicou as razões da mudança, e um porta-vozdela disse que a decisão não acarreta alterações na estratégiageral da campanha. Mas Larry Sabato, professor de Ciência Política naUniversidade da Virgínia, disse que a reformulação "não podeser um bom sinal", ainda mais em conjunto com a notícia,surgida na semana passada, de que Hillary emprestou 5 milhõesde dólares da sua fortuna pessoal para ajudar na campanha. "Isso indica que eles entendem que as coisas não foram tãobem quanto eles esperavam, porque, se tivessem ido, a campanhateria sido concluída em 5 de fevereiro [quando quase metade dosEstados fizeram suas prévias]", afirmou Sabato. Mas Sabato ressalvou que nem tudo está perdido paraHillary, que pode selar sua candidatura caso tenha bomdesempenho em Ohio, Texas e Pensilvânia. Hillary e Obama estão praticamente empatados em termos dedelegados comprometidos até agora, mas bem aquém dos 2.025necessários para assegurar a indicação democrata. Entre os republicanos, McCain praticamente garantiu aindicação na quinta-feira, com a desistência de Romney. Masmuitos conservadores não gostam de McCain devido a suasposições históricas a respeito de reduções de impostos,imigração, pesquisas com células-tronco e reforma dofinanciamento eleitoral. (Reportagem adicional de David Wiessler, Jeremy Pelofskyand Jeff Mason)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.