Hillary: não há ação naval iminente planejada para Líbia

Os Estados Unidos não estão planejando nenhuma ação militar iminente envolvendo navios da Marinha em resposta à crise na Líbia, afirmou a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton. "Não há nenhuma ação militar pendente envolvendo navios dos EUA", disse ela em uma sessão do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra, na Suíça.

AE, Agência Estado

28 de fevereiro de 2011 | 15h41

"Nós acreditamos que haverá a necessidade de suporte para intervenção humanitária. Haverá também provavelmente a necessidade de missões de resgate, infelizmente", acrescentou Hillary. Segundo ela, os EUA estão enviando equipes de auxílio para as fronteiras da Líbia com o Egito e a Argélia. As equipes vão ajudar refugiados que tentam escapar de uma potencial guerra civil. A secretária afirmou que os EUA vão destinar US$ 10 milhões para ajudar os refugiados.

Mais cedo, o Pentágono disse que está mobilizando tropas na região da Líbia caso elas sejam necessárias, mas não disse para o que elas podem ser necessárias. O porta-voz do Departamento de Defesa, coronel Dave Lapan, afirmou que o Pentágono está trabalhando em várias opções e planos de contingência, e que o reposicionamento de forças aéreas e navais é parte desse planejamento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaprotestosEUAHillaryação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.