Hillary pede a Chávez transparência na compra de armas

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, instou a Venezuela a ser transparente na questão da compra de armas. "Nós manifestamos nossa preocupação com o número de compras de armamentos da Venezuela", disse Hillary, acrescentando que "isso levanta a questão se está em curso uma corrida armamentista na região".

AE, Agencia Estado

15 de setembro de 2009 | 17h04

No domingo, a Venezuela anunciou que obteve um empréstimo de US$ 2,2 bilhões da Rússia para comprar 92 tanques T-72 e sistemas de mísseis antiaéreos do seu aliado estratégico. O presidente venezuelano Hugo Chávez descreveu alguns dos armamentos, incluídos os tanques T-72 da era soviética, como uma aquisição para "modernizar nossa frota de veículos armados".

Nos últimos anos, a Venezuela assinou contratos avaliados em US$ 4 bilhões na compra de armas russas e em novembro do ano passado a Marinha da Rússia juntou-se à venezuelana para manobras conjuntas no Mar do Caribe.

Irã - Hillary também se pronunciou sobre o Irã e as preocupações que envolvem o programa nuclear da republica islâmica. Segundo ela, o Irã precisa enfrentar essas preocupações "diretamente" em todas as conversas, enquanto se prepara para novas discussões com as seis potências em 1º de outubro.

"Nós deixamos claro aos iranianos que em qualquer conversação da qual participemos, o Irã precisa abordar diretamente a questão nuclear. Ela não pode ser ignorada", disse Hillary. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.