Hillary pede eleição presidencial justa em Angola

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, pressionou neste domingo o presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, a realizar uma eleição justa no país e agir contra abusos aos direitos humanos. Santos está no poder desde 1979.

AE, Agencia Estado

09 de agosto de 2009 | 18h19

Hillary pediu também laços mais próximos entre os Estados Unidos e Angola, um país rico em petróleo. A secretária afirmou que as "pacíficas e críveis" eleições legislativas do ano passado, as primeiras em 16 anos, foram encorajadoras.

Hillary pediu a adoção de uma nova Constituição, além de eleições presidenciais livres e justas. A secretária de Estado deve se encontrar com o presidente angolano nesta segunda-feira, como parte de seu giro de 11 dias por sete nações africanas.

Inicialmente, as eleições em Angola eram aguardadas para este ano, mas agora devem ocorrer em 2010. Angola tem conseguido bons índices de crescimento, desde o fim da devastadora guerra civil de 27 anos, em 2002. Rivaliza agora com a Nigéria, na disputa pelo posto de principal produtor de petróleo da África.

Hillary se reuniu neste domingo com o ministro de Relações Exteriores local, Assunção dos Anjos. A viagem inclui encontros com executivos do setor petrolífero e o ministro do Petróleo, José Botelho de Vasconcelos, atualmente o presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AngolaHillary Clinton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.