Hillary pede que Espanha receba presos de Guantánamo

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, pediu hoje ao governo da Espanha que receba prisioneiros do centro de detenção de Guantánamo. A informação foi divulgada pelo chanceler espanhol, Miguel Ángel Moratinos, depois de sua primeira reunião com Hillary. Após anos de frieza entre Washington e Madri, Moratinos disse que uma nova etapa diplomática está começando com o governo de Barack Obama. "Hillary pediu ajuda na solução da tragédia que são os presos de Guantánamo", afirmou. "Respondi que a Espanha está, em princípio, disposta a colaborar no recebimento de alguns presos, sempre e quando as condições jurídicas forem aceitáveis."Obama assinou em 22 de janeiro um decreto que ordena o fechamento do centro de detenção, que ainda abriga 245 prisioneiros, em até um ano. A política de tratamento dos presos em Guantánamo é duramente criticada por organizações de direitos humanos e muitos detidos afirmam terem sido torturados durante a permanência no centro. Um relatório divulgado pelo Departamento de Defesa recomendou o "relaxamento" de algumas regras da prisão - como o regime de isolamento dos presos - para que haja um maior "contato humano" entre os detentos.De acordo com o documento, o centro de detenção está de acordo com "todos os padrões" de tratamento humano, mas é "recomendável" que haja mais oportunidades de recreação e estímulo intelectual. As informações são da Dow Jones.

AE, Agencia Estado

24 de fevereiro de 2009 | 19h46

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEspanhaGuantánamo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.