Hillary pressiona Tunísia por reformas democráticas

A secretária de Estado norte-americana dos Estados Unidos, Hillary Clinton, pediu para o primeiro ministro da Tunísia para levar adiante as reformas democráticas para reduzir a turbulência política do país, informou o porta voz dela. A secretária pediu que Mohammed Ghannouchi encorajasse as reformas em andamento e também mais empenho no apoio para a transição para a democracia.

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2011 | 20h16

Este é mais uma ação de Washington para pressionar por reformas democráticas na Tunísia, depois da deposição do presidente Zine El Abidine Ben Ali, que governou o país com mão de ferro por 23 anos. Na quinta-feira, os Estados Unidos afirmaram que esperam que a Tunísia tenha eleições críveis no final deste ano.

Ghannouchi enfrentou hoje mobilização do principal sindicato do país contra ele, pedindo para que se demitisse. Milhares de pessoas fizeram manifestações em várias enquanto centenas marcharam na na capital Túnis a partir da região mais pobre, onde a revolta começou no mês passado. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.