Hillary promete encontrar responsável por vazamentos do WikiLeaks

Para secretária de Estado, divulgação de dados diplomáticos é ataque aos EUA e à comunidade internacional

estadão.com.br,

29 de novembro de 2010 | 16h24

WASHINGTON - A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse nesta segunda-feira, 29, que o governo do país está tomando providências agressivas para encontrar os responsáveis pelo vazamento de 250 mil telegramas de embaixadas americanas pelo mundo ao site WikiLeaks.  

Veja também:

link As principais revelações do vazamento do Wikileaks

link Os líderes mundiais sob o olhar dos diplomatas americanos

link Para EUA, Brasil oculta prisão de terroristas

Em entrevista coletiva no departamento de Estado, Hillary lamentou profundamente a divulgação das informações e diz que elas ameaçam a segurança nacional dos EUA e as relações com outros países. "Este vazamento é um ataque aos EUA e à comunidade internacional", disse Hillary".  

 

Mais cedo, a Casa Branca ordenou regras mais duras para impedir o vazamento de documentos confidenciais e lançou uma investigação para determinar quem deu ao WikiLeaks acesso aos 250 mil telegramas de embaixadas do país ao redor do mundo.

 

O novo procedimento prevê a limitação do acesso a dados sigilosos e outras restrições ao manuseio deste material.

Tudo o que sabemos sobre:
WikileaksHillary ClintonEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.