Hillary propõe encontro entre EUA, China e Japão

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, fez um apelo para que a China reduza as tensões na fronteira marítima no Leste da Ásia e também afirmou que os EUA desejam ver a solução pacífica para a disputa da soberania das ilhas no Mar do Leste da China, em curso entre China e Japão. Para isso, ela propôs um encontro tripartite entre os EUA, China e Japão. As ilhas são chamadas de Diaoyu pela China e Senkaku pelo Japão.

AE, Agência Estado

30 de outubro de 2010 | 13h51

O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, disse que conseguiu ter uma conversa informal com seu congênere chinês Wen Jiabao antes da abertura da cúpula no Vietnã, mas acrescentou que uma reunião bilateral plena "infelizmente, não se materializou desta vez". Kan disse que os dois países manterão a calma e buscarão uma solução diplomática para seus problemas.

"É do nosso interesse que China e Japão tenham relações estáveis e pacíficas", disse Hillary. Os EUA, ela disse, "estão prontos a hospedar um encontro tripartite, onde traremos os chanceleres da China e do Japão para discutirmos uma série de questões".

"Nós deixamos bem claro que queremos que a temperatura caia nesta questão", disse um funcionário norte-americano, que esteve presente à reunião, neste sábado, de Hillary com o chanceler chinês Yang Jiechi, à margem da cúpula dos líderes do Leste asiático na capital vietnamita. Yang, afirma o funcionário, disse a Hillary que levará em conta a sugestão para um encontro tripartite, mas disse que a China não se compromete a aceitar a mediação dos Estados Unidos na disputa em curso com o Japão. Funcionários japoneses disseram que é bem-vinda a intervenção dos EUA ao propor um cúpula tripartite. Todos afirmaram, contudo, que nenhuma data foi marcada para a reunião tripartite. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAChinaJapãoVietnã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.